Qualidade de vida

Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro

Conheça melhor essa profissão tão importante em tempos de COVID-19.

No dia 12 de maio se comemora o Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro em homenagem ao nascimento de Florence Nightingale, a grande precursora da enfermagem como a conhecemos hoje.

Nascida em 1820 na cidade de Florença, Itália, Florence sempre desejou tratar e ajudar enfermos. De início, a ideia não foi muito bem aceita por seus pais (que consideravam a profissão pouco valorizada), mas muitos anos de estudo e dedicação deram a Florence a experiência necessária para fundar o que viria a ser a primeira escola de enfermagem, em Londres.

Em homenagem a essa mulher extraordinária, o Conselho Internacional de Enfermagem nomeou a data de seu nascimento como o Dia Internacional do Enfermeiro e da Enfermagem.

2020 é um ano muito especial para os profissionais dessa área, afinal, amanhã se comemora os 200 anos desde o nascimento da mulher que viria a transformar a profissão.

Mas qual é a função de um enfermeiro? Qual é a diferença entre um enfermeiro e um médico?

Antes de tudo, é preciso entender que existem níveis de qualificação entre enfermeiros, com a nomenclatura do cargo sendo baseada no nível de instrução recebida.

O AUXILIAR DE ENFERMAGEM precisa de um curso de curta duração (em média, um ano) e cabe a ele executar procedimentos básicos em pacientes de baixa gravidade. Aplicar vacinas, injeções, administração de remédios e curativos simples são algumas das funções do auxiliar de enfermagem, sempre ao lado de um supervisor.

Já os TÉCNICOS EM ENFERMAGEM precisam de um curso de média duração (aproximadamente 2 anos) para assumir procedimentos mais complexos, como administrar dosagens de medicações, esterilizar utensílios cirúrgicos, coleta de material para exames e preparo de pacientes para cirurgias.

Por fim, chegamos ao ENFERMEIRO, que é o profissional graduado em um curso de longa duração (cerca de 4 anos). Além de supervisionar os técnicos e auxiliares, ele atende pacientes em estado grave e é responsável por diversos outros trabalhos, como auxílio durante cirurgias, controle e prevenção de infecções hospitalares e muito mais.

Existem outros tipos de enfermeiros, como aqueles que atuam em unidades de resgate, enfermeiros que fazem atendimento domiciliar e enfermeiros obstetras.

Mas qual é o papel desses profissionais em uma situação tão complexa como a que enfrentamos agora?

Segundo o COFEN (Conselho Nacional de Enfermagem), além das funções técnicas explicadas acima, os enfermeiros são a maior categoria de profissionais de saúde, a única que está ao lado do paciente 24 horas por dia, sete dias por semana.

Pacientes infectados pela COVID-19 precisam ser monitorados diariamente para a avaliação do avanço da doença e precisam ser acomodados apropriadamente para que não haja contaminação de outros indivíduos no ambiente.

Dependendo da gravidade, esses pacientes vão para a UTI e lá é feito um trabalho ainda mais intenso de administração de medicamentos, isolamento e cuidados diários, e é função do enfermeiro fazer esse trabalho.

Existem milhares de enfermeiros na linha de frente, enfrentando essa pandemia e trabalhando duro para prevenir que ela gere ainda mais mortes. O trabalho deles é essencial, e, 200 anos após o nascimento de Florence Nightingale, devemos agradecer a esses profissionais que se arriscam para cuidar daqueles que precisam.

* Referência: COFEN, Ministério da Saúde, Coren, Wikipedia, MedPrev, Portal Fiocruz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *