Qualidade de vida

Conheça a campanha e conscientize-se!

Novembro Azul começou, e é responsabilidade de todos conscientizar e informar as pessoas sobre o risco da doença que mata dezenas de milhares de homens todos os anos: o câncer de próstata.

Próstata é uma glândula exclusiva do corpo masculino que está localizada na parte baixa do abdômen. É um órgão pequeno que se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A glândula envolve parte da uretra e produz parte do sêmen, líquido que contém os espermatozoides.

O câncer que ataca essa glândula é conhecido como câncer de próstata, doença que mata um homem a cada 38 minutos no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

É uma doença considerada como de “terceira idade”, pois cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos de idade. O tumor pode crescer rapidamente, se espalhando para outros órgãos, mas, na maioria dos casos, o câncer se desenvolve bem lentamente.

Em sua fase inicial, o câncer de próstata não apresenta muitos sintomas, é uma doença com evolução silenciosa. Apesar disso, alguns casos podem apresentar alguns sintomas, principalmente os mais avançados. São eles:

  • Dores ósseas;
  • Dores ao urinar;
  • Vontade de urinar com frequência;
  • Presença de sangue na urina e/ou no sêmen;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Dificuldade de urinar.

O objetivo da campanha é encorajar homens a buscar exames de diagnóstico. A detecção precoce do câncer é a melhor forma de combater o problema, garantindo maiores chances ao paciente.

No caso do câncer de próstata, os exames de diagnóstico são o de toque retal e o exame de sangue para avaliar a dosagem de PSA (antígeno prostático específico), porém nenhum dos dois exames tem uma precisão de 100%. Por isso, exames complementares podem ser necessários.

A única forma de diagnosticar com certeza o câncer é a biópsia, retirada de amostras para análises laboratoriais.

O tratamento varia de caso para caso. Em casos mais avançados, onde há metástase, a terapia hormonal é o tratamento mais comum. Se a doença está localizada, um procedimento cirúrgico pode tratar o problema.

Tudo depende de quão avançada está a doença e, principalmente, o quão cedo ela foi diagnosticada. Por isso é tão importante realizar exames anuais após os 50 anos. Um diagnóstico feito com antecedência pode fazer toda a diferença.

Fontes: BVMS.Saúde, INCA, Cancer.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *