Qualidade de vida

Com que máscara eu vou?

máscara

Há um ano as máscaras de proteção fazem parte do nosso cotidiano. Indicadas para evitar a proliferação do coronavírus, as máscaras fornecem uma barreira contra as gotículas que expelimos ao falar, tossir ou espirar.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), além do uso da máscara, é imprescindível que seja mantido o distanciamento social, de no mínimo 1,5m, diminuindo ainda mais a probabilidade de infecção.

Qual máscara usar?

No ano passado, após a recomendação do uso de máscaras, o mundo inteiro viu as máscaras descartáveis sumirem das prateleiras e os preços se elevarem. Devido à escassez do produto, a OMS orientou a utilização de máscaras caseiras de tecido para cobrir o nariz e a boca.

Mas, com o aumento no número de casos e, a comprovação científica de que tipos de máscaras diferentes apresentam proteção em maior ou menor grau, hoje a recomendação mudou, para o uso preferencial da máscara descartável com triplo tecido, acompanhada de uma máscara de tecido por cima ou do uso das máscaras PFF2 ou N95.

Tipos de máscaras

Para saber se sua máscara está te protegendo, a Universidade Duke, nos Estados Unidos, realizou uma pesquisa para saber qual é a máscara mais e menos eficiente. No top 3 de eficiência estão: N95/PFF2, máscara cirúrgica de 3 camadas e máscara de tecido de 3 camadas que mistura algodão e polipropileno.

Segundo a pesquisa, um método para saber se você está protegido é colocar a máscara e tentar apagar um fósforo, uma vela, ou um isqueiro. Se conseguir apagar com certa facilidade, é sinal de que sua máscara não é tão segura quanto deveria ser.

PFF2 e N95

As máscaras tipo PFF2 (certificação brasileira) e N95 (certificação americana), apesar de possuírem nomenclaturas diferentes, apresentam o mesmo padrão de proteção.  Segundo a Anvisa, ambas as máscaras conseguem filtrar de maneira eficaz as partículas do vírus. São consideradas os tipos mais seguros, por garantirem uma maior vedação do rosto e não permitirem a passagem do ar pelas laterais, com uma eficácia de até 95% na filtragem do ar.

Esses dois tipos de máscaras são EPI’s, encontrados para venda em casas de materiais de construção ou em lojas de artigos para proteção individual. Apesar de apresentarem um preço um pouco mais elevado, em torno de R$3,00 uma PFF2, ela pode ser reutilizada, desde que sejam mantidos alguns cuidados no uso.

Como reutilizar?

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, nos EUA), o respirador pode ser reutilizado cinco vezes se for retirado e armazenado de forma segura.

Mas, para isso, as máscaras PFF2 não devem ser molhadas ou ter contato com álcool, para que as camadas de proteção não sejam danificadas. Caso você tenha suor em excesso, a máscara deve ser trocada a cada 4 horas e o seu armazenamento deve ser feito entre folhas de papel toalha em um saco plástico ou armazenada em um envelope de papel.

Durante o tempo de descanso, entre usos, a máscara precisa ficar em ambiente aberto, com ventilação e longe do sol e chuva entre um período de 3 a 7 dias. Se a sua máscara apresentar manchas, rasgos, furos, estiver descosturada ou com o elástico largo, não a reutilize, pois sua proteção está comprometida.

Para não correr o risco de usar a mesma máscara sem o tempo de descanso necessário, numere sua máscara no elástico com os dias da semana e risque quantas vezes você já a utilizou. Assim, você terá sempre uma máscara adequada para uso.

Onde comprar?

Apesar de atualmente a PFF2 ser encontrada facilmente em casa de materiais de construção, o site PFF para todos, disponibiliza todos os dias uma planilha atualizada com sugestões de lojas online em todo o país que vendem o equipamento por um preço justo.

Cuidado com o golpe!

Na hora da compra, verifique se a máscara possui o selo de certificação do Inmetro, como é o caso da KN95, que apesar de possui o elástico preso atrás das orelhas, não é uma máscara certificada e tem sido vendida como importada. Fique de olho, a importada é a N95 sem o K na frente do nome.

Para não cair no golpe da máscara falsificada, a Anvisa disponibilizou uma lista de empresas fabricantes de máscara que mostraram falha na eficácia, para conhecer é só clicar aqui.

Não se esqueça, usar a máscara é um gesto de cuidado, pois quando você se protege, também está cuidando de todos ao seu redor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *