Qualidade de vida

Brasil – 38 anos quebrando preconceitos contra a AIDS

dezembro-vermelho

Há 38 anos o Brasil registrava o primeiro caso de AIDS no país, um ano após a primeira comunicação da doença nos Estados Unidos.

Em quase quatro décadas a medicina evoluiu muito no tratamento da doença, informações sobre contaminação e prevenção ficaram muito mais acessíveis e o tratamento está disponível integralmente pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Apesar disso, muito preconceito ainda existe em torno do tema, e como forma de acabar com a discriminação e trocar informações, no dia 1º de dezembro é comemorado o “Dia Internacional da Luta contra a AIDS”.

HIV ou AIDS

Você sabia que existe diferença entre HIV e AIDS?

Segundo a UNAIDS, com a evolução do tratamento, nem todo mundo que vive com HIV chega a desenvolver a AIDS. 

HIV é a sigla do vírus da imunodeficiência humana. É este vírus que pode levar o paciente a síndrome da imunodeficiência adquirida, a AIDS.

A infecção pelo HIV não tem cura, mas o tratamento pode evitar que ele avance no organismo e desenvolva a AIDS.

Transmissão

O medo e a falta de informação foram por muito tempo um dos principais causadores do pré conceito e discriminação as pessoas com HIV.

Acreditar que a contaminação acontecia através de apertos de mão, abraços e compartilhamento de talheres e alimentos, por exemplo, dificultavam a quebra do tabu contra a AIDS.

A transmissão do HIV se dá exclusivamente pela troca de fluídos corporais, como sangue, sêmen, secreções vaginais e leite materno.

Assim pega:

  • Sexo vaginal sem camisinha;
  • Sexo anal sem camisinha;
  • Sexo oral sem camisinha;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Assim não pega:

  • Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
  • Masturbação a dois;
  • Beijo no rosto ou na boca;
  • Suor e lágrima;
  • Picada de inseto;
  • Aperto de mão ou abraço;
  • Sabonete/toalha/lençóis;
  • Talheres/copos;
  • Assento de ônibus;
  • Piscina;
  • Banheiro;
  • Doação de sangue;
  • Pelo ar.

Tratamento

Após descoberta a contaminação pelo vírus HIV é imprescindível iniciar o tratamento com os antirretrovirais (ARV). A medicação inibe a multiplicação do vírus no organismo e o enfraquecimento do sistema imunológico.

Apesar do HIV ainda não ter cura, iniciar o tratamento antirretroviral precocemente ajuda a carga viral ficar mais rapidamente indetectável, ou seja, ela deixa de ser transmitida a outras pessoas.

O Brasil disponibiliza pelo sistema público de saúde o tratamento e o teste gratuitamente, independente da carga viral do paciente. Basta procurar pela UBS mais próxima a sua residência.

Vamos juntos acabar com o preconceito contra o HIV e a AIDS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *