Prateleira

Panettone: queridinho na casa dos brasileiros

veran_prateleira-1

O panettone é tão popular no Brasil que até parece que foi criado por aqui, porém, a receita surgiu em Milão, na Itália, no ano 900. Segundo conta a história, o “panettone” foi um “erro” do assistente de padeiro Toni. Após trabalhar diversas horas seguidas na véspera de Natal, ele se confundiu com duas receitas que ainda precisava terminar, colocando as uvas passas de uma torta na última fornada de pão. Sem saber o que fazer para salvar a receita, colocou frutas cristalizadas, manteiga e ovos na massa, tentando deixá-la o mais próximo da torta que precisava entregar ao seu chefe para ceia de Natal. O assistente não esperava que um descuido faria tanto sucesso e para homenageá-lo seu chefe deu o nome de “pane dioni” a receita, popularmente chamado anos depois de “panettone”. A receita se popularizou no Brasil com a chegada dos imigrantes italianos pós Segunda Guerra Mundial.

Presente em praticamente todos os lares nesta época de final do ano, seja na versão doce, salgada, tradicional de frutas ou até nas receitas goumert com sorvete e outros ingredientes diferenciados, o consumo de panettone no Brasil é tão grande que só no estado de São Paulo, o que mais consume o produto, são vendidos mais de 38 milhões de unidades no período natalino por ano. Segundo aponta uma pesquisa da Baudducco, maior produtora da receita, o panettone de frutas é preferência entre os clientes com mais de 50 anos, já a receita com gotas de chocolate, são preferência entre os mais jovens, também principal público das receitas diferenciadas, como com leite condensado e doce de leite.

A nutricionista do Veran, Maila Tortelli, orienta sobre o consumo do produto, “os panettones com frutas secas, se enquadram na categoria de pães e apresentam menos açúcares e quase nada de gordura, já o chocottone, com recheio em chocolate em gotas é rico em açúcar e gordura, sendo considerado um doce. Na hora do consumo, o indicado é seguir a tabela nutricional apresentada nas próprias embalagens e respeitar o tamanho da fatia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *