Prateleira

Chocolate uma paixão nacional

tipos-de-chocolates

Conheça as diferenças entre os tipos da guloseima

Anualmente, cada brasileiro consome, em média, 2,5 kg de chocolate, o equivalente a 16 barras. Segundo pesquisa do Ibope, o Sul é a região do país onde as pessoas mais comem chocolate, cerca de 4,5 kg por ano, enquanto a região Nordeste aparece como a que menos consome a guloseima, com um consumo médio anual de 1,2kg.  As mulheres lideram a pesquisa como maiores consumidoras do produto e se assumiram chocólatras, contando que comem chocolates praticamente todos os dias. Mas, você sabe a diferença entre os tipos de chocolate?

Conversamos com a nutricionista Walkyria Campetelli para nos ajudar a entender e diferenciar as opções.

CHOCOLATE AMARGO – É composto por sementes de cacau, manteiga de cacau, pouco açúcar e nada de leite e tem 70% de cacau em sua composição. “Esse tipo de chocolate tem ação antioxidante o que colabora para a saúde do coração”, indica Walkyria.

CHOCOLATE MEIO AMARGO – Essa opção tem uma coloração escura por não levar leite, mas contém mais açúcar que a versão amarga, o que suaviza o sabor

CHOCOLATE AO LEITE – Sua composição leva na massa manteiga de cacau, leite, leite em pó ou condensado e açúcar. “ O chocolate ao leite é o tipo mais comum, mas por possuir menor teor de cacau também é mais calórico que as versões amargas”, explica a nutricionista.

CHOCOLATE BRANCO – A opção branca do chocolate é a mais calórica de todas, devido à alta concentração de manteiga de cacau, açúcar e gordura.

CHOCOLATE SEM LACTOSE – Tem alta porcentagem de cacau de 50 a 80%, além de não levar leite, leite em pó ou qualquer outro derivado do leite na sua composição.

CHOCOLATE DIET – Contém massa e manteiga de cacau, leite em pó e soro do leite. “Por ser diet existe a restrição de açúcar, mas há o acréscimo de gordura, podendo ser até mais calórico do que o chocolate ao leite”, esclarece a profissional.

CHOCOLATE LIGHT – Um chocolate pode ser considerado light quando há uma redução de pelo menos 25% da quantidade de um determinado nutriente e/ou calorias em relação ao tradicional, e é indicado para quem quer perder peso.

Se só de ouvir falar em chocolate você ficou com água na boca e com vontade de correr para os doces, é melhor ir com calma, pois nada em excesso faz bem. “Uma quantia indicada para o consumo regular de chocolate é de 30 gramas (o que equivale a três quadradinhos). Os adultos devem dar preferência para opções acima de 60% de cacau e as crianças maiores de 2 anos não devem consumir o doce mais de duas vezes na semana”, orienta Walkyria.

Outra dica da nutricionista é escolher os doces que possuem maior teor de cacau (acima de 60%). O chocolate amargo e o meio amargo têm maior concentração de flavonoides e antioxidante, que protegem o organismo contra o envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e até acidentes vasculares cerebrais. “Para as pessoas que preferem os chocolates mais doces, o aconselhável é escolher a opção ao leite no lugar do branco, por possuir menos gordura hidrogenada, maior quantidade de cacau entre os ingredientes, sendo menos calórico”, recomenda a profissional.

walkyria-campetelli-2

Walkyria Campetelli – Nutricionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *