Prateleira

Café – uma das bebidas mais adoradas no mundo

café grãos

14 de abril celebra o Dia do Café – Bebida é paixão mundial

O brasileiro é um apreciador nato do café. Com certeza você conhece alguém ou até você mesmo, que não consegue começar o dia sem um cafezinho ou que toma a bebida em vários momentos do dia.

Mas, mesmo sendo um consumidor fiel da bebida, o brasileiro não é a população que mais consome café no mundo. Segundo a Organização Internacional do Café, é a Finlândia quem ocupa o ranking do consumo de café, com 12 quilos do grão por habitante, seguido pela Noruega e Islândia. Dos 25 maiores consumidores de café no mundo, 21 são europeus com exceção do Canadá, Estados Unidos, Líbano e Brasil, que registra uma média de 5,8kg de café por habitante/ano.

O café e o Brasil

O café é parte importante da nossa história. Durante o século XIX e o início do século XX, ele foi o principal produto de exportação brasileiro para a Europa e os Estados Unidos. Era valioso não só economicamente, mas também politicamente, já que sua produção determinava o cenário político da época, a conhecida política do “café com leite”.

A produção do café no Brasil estava concentrada principalmente na Baixada Fluminense e no vale do rio Paraíba, entre São Paulo e Rio de Janeiro. As primeiras plantações foram beneficiadas com a mão de obra escrava, mas após a Abolição da Escravatura em 1888, a mão de obra passou a ser majoritariamente de imigrantes europeus.

O café garantiu acúmulo de capitais, auxiliou na urbanização do Rio de Janeiro, São Paulo e cidades do interior paulista e foi essencial para o processo de industrialização no Brasil, assim com o desenvolvimento do sistema bancário.

Tipos de café

O processo de plantação, colheita e torra de mais de cem anos atrás se modernizou. A bebida ganhou ao redor do mundo inteiro novas características, como torra e até saborização.

Segundo o Sindicato da Indústria de Café do Estado de Minas Gerais, os cafés podem ser: aromatizados, regionais, gourmert, descafeinados, orgânicos, tradicionais e, de regiões específicas.

Cafés Aromatizados

Comum nos países do Oriente Médio, onde o cardamomo e a canela são acrescentados desde a antiguidade, a produção do café aromatizado é feita com a incorporação de óleos essenciais com aromatizantes como nozes, baunilha, cremes de frutas, entre outros.

Cafés Regionais

Os cafés regionais surgiram com a diversidade da cultivação, com latitudes, altitude e métodos de preparo típicos de cada região. Minas Gerais possui quatro regiões produtoras, que respondem por cerca de 53% de todo tipo deste café produzido no Brasil.

Cafés Gourmet

São considerados raros e exclusivos. Normalmente possuem uma doçura única, com aromas de cereais torrados, flores, frutas e chocolates, dispensando em muitos casos o uso de açúcares e adoçantes.

Cafés Descafeinados

Indicados para quem quer consumir a bebida, com o a mesma qualidade e sabor, mas sem a presença da cafeína. O processo de preparo destes cafés ocorre com a remoção da cafeína dos grãos, envolvendo-os em imersão em água e filtragem por um filtro de carbono, onde o sabor é reincorporado após a destilagem.

Cafés Orgânicos

A produção do café orgânico se assemelha ao sistema tradicional utilizado no século XIX, onde os grãos são produzidos sem agrotóxicos.

Cafés Tradicionais

Os cafés tradicionais valorizam o equilíbrio entre sabor e aroma. São os mais conhecidos, encontrados em versões tradicionais e extra forte, como em embalagens tipo almofada ou à vácuo.

Cafés de Regiões Específicas

Café do Cerrado

São produzidos em ambiente de savana de planalto, em áreas que nunca foram florestadas, a altitudes entre 800m e 1.000m. O Cerrado de Minas Gerais é caracterizado por estações bem definidas: verões quentes e chuvosos são seguidos por invernos secos e frios, ou seja, o clima ideal para o cultivo de cafés naturais de alta qualidade. Este tipo de café é caracterizado por ser uma bebida forte, fina e com uma doçura especial.

Café da Chapada de Minas

A Chapada de Minas é uma região pequena com planaltos e desfiladeiros cortados por rios.
O processo do café na região, se dá por via natural, com destaque para os últimos anos no cultivo do café cereja descascado.

Café do Sul de Minas

O Sul de Minas é a maior região produtora de cafés do Brasil, sua maior produção é processada por via natural. São cafés classificados como mole ou estritamente mole, encorpados com pouca acidez e um sabor doce característico.

Café das Matas de Minas

O principal perfil de café das matas de minas são os cafés arábicos, ligados à altitude. O café plantado em altitudes mais baixas e no fundo dos vales sofre um processo de fermentação no pé, que determina a bebida sabor Rio, altamente valorizada no preparo do café pelo estilo turco e muito vendido nos países do Oriente Médio e partes do Mediterrâneo.

Agora que você já conhece um pouquinho mais sobre a variedade do café é só fazer o preferido! Feliz Dia do Café!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *